Depois de alguns dias longe de casa, eu estava louco para voltar a minha rotina, e principalmente, poder voltar para aquela parte no final do dia, onde me sento num toco de árvore, aqueles que parecem um banquinho de criança e respiro 20 vezes, a respiração de yoga, barriga pra fora ao inspirar, barriga pra dentro ao expirar, bem na manha. Logo depois, levanto, tomo um pouco de água de coco, limpo a mente, troco uma ideia com o cara lá de cima, rezo, curto um pouco da música e vou para casa, dar o start no período da noite – algumas vezes você deve ter um visto um vídeo meu ali nesse lugar no insta (@brunomrperin)… Seria normal, mas dessa vez eu chorei. Tinha gente pescando, algumas poucas famílias curtindo, um cara passeando com o cachorro, e eu ali, só de bermuda, segurando os tênis e a camiseta na mão, ouvindo uma música indie/folk e algumas lágrimas.

O QUE VOCÊ PRECISA ENTENDER ATÉ O RESPIRAR 20 VEZES.

Eu já fui um workholic não assumido, assumo agora, talvez antes não queria assumir ou não tinha percebido, bem na real – não sei, o que importa é que eu era. Workholic, significa alguém viciado em trabalho, que define todas suas atividades e são pessoas que vão se aproximar, sempre pensando no trabalho.

Nessa época muita coisa estava errada, mas uma das que mais me incomodava era a sensação de que conquistar tanta coisa não estava me adiantando nada, eu não me sentia mais feliz, bem na real, eu me sentia pior. Meu corpo reclamava, minha mente reclamava, o custo de estar subindo era alto e a recompensa não era como mostravam.

Uma das primeiras coisas que senti que deveria mudar era na questão de viver a vida, espiritualidade. Puxa, eu não estava em paz, o caminho não parecia certo. Sempre gostei do budismo, não sou, mas sempre adorei ler sobre o assunto e algumas ideias dele me atraíram, principalmente na questão de meditar e viver mais o agora…

a melhor escolhar paz

IMAGINA UM CARA LIGADO NO 2420w TER QUE PARAR

A ideia de meditar era insana, pois o cara agitado, com foco em trabalho, tinha que parar para acalmar a mente – praticamente uma tarefa impossível. Mas, se quisesse mudar eu precisava ao menos tentar. Comecei tentando posições, falando mantras, diversas coisas. Até que um dia me chamou atenção uma das práticas

O que tinha valido a pena ter vivido naquele dia?

Gratidão é algo que sempre admirei demais, e a minha andava bisonha. Será que eu não deveria parar um pouco e pensar no que tinha sido bacana, no porque era legal estar vivo e o que eu pude ter degustado no dia. Ao fazer isso, duas coisas aconteceram, dei-me conta que a maior parte das gratidões eram de trabalho e eu agradecia muito pouco… Faltou ar – Respira.

VC ESTÁ APROVEITANDO A VIDA QUE TEM

A ideia de respirar e simplesmente pensar – e aí, tá aproveitando essa sua vida? O que de legal rolou hoje?

  • Nossa tomei um gole de café que arrepiou a alma
  • Mandei um elogio que mudou a vida de alguém
  • Adorei o barulho que o gelo fez no meu copo de suco
  • Escrevi uma frase linda que fez me sentir em evolução
  • Escutei uma música na hora certa para fazer determinada atividade

Comecei a perceber que tinha tanta coisa maneira dentro de um dia e que era irado estar nele, eu que não prestava atenção – a vida é uma merda – claro, você só presta atenção nas coisas erradas, como vai ser boa? Era o tipo de porrada que precisei me dar e voltar a RESPIRAR.

Aquele momento meu, de parar e respirar, “tá tudo bem, o destino sabe o que faz, papai do céu tem suas peripécias para deixar a história mais bacana, respira e curte. Você tá aqui agora, tem muita coisa legal que rolou”, me fez ficar melhor.

Eu tomei decisões mais embasadas na vida, evoluí como pessoa, senti uma vida de valor real… 20 vezes é o número que preciso respirar para colocar os pés no chão e a mente no agora – ei, para de enlouquecer com um milhão de coisa pra sentir que está aqui, tá vivo, olha quanta coisa legal estão acontecendo ao redor, agradece.

AGORA VOLTA AO MAR

Eu estava na praia, alguns anos depois desse período conturbado, e uma sensação de estar me tornando a pessoa que eu gostaria me dominou, as conquistas profissionais eram super bacanas, nem perto daquilo que eu sonhava, mas estavam sendo muito melhores, mais saudáveis e mais condizentes com a vida que queria viver. Sonhos mais sinceros, uma vida de dignidade e contribuição… 20 vezes eu respirei e estou aqui. Obrigado por estar aqui, obrigado por você ler, adoro a praia e adoro escrever. Lágrima sua linda, embrulhou essa história e caiu na área.

Tudo bem, amanhã é outro dia, respira, agradece e vai.

Deixe seu comentário

Deixe seu comentário