LAR DOCE MAR

Vamos falar de LifeStyle… Eu estava começando a suar de leve. Eram pingos de gratidão dando boas-vindas. Tinha acabado de dar uma volta de skate. O relógio, sem tanta importância naquele momento, alegrava 08:15 de janeiro. O sol já tinha chegado receptivo como bolinho de vó, mas não estava tão quente. Peguei uma água de coco e me encontrava frente ao mar. Com skate na mão, fazia o cálculo do tempo que ainda tinha pra tomar aquela ducha, tomar um super café da manhã e ir trabalhar.

Nesse momento pensei:

“Nossa como é possível isso? Estou absurdamente feliz com essa rotina, o dia mal começou e foi tão irado esse início que já valeu a pena. Tô lucrando já com o que vier”.

Eu não imaginava como algumas pessoas podiam ter um estilo de vida tão gostoso. Afinal um dia comum em um lugar extraordinário, é extraordinário!

Nessa época a minha resposta para a pergunta “onde você mora?” era – Eu moro no Mundo.

Eu falava isso porque era divertido passar pela ideia de realmente não ter CEP, ou um lugar definido e estar sempre pronto para diversos projetos e aventuras, e também porque era verdade. Grande parte das minhas coisas estavam espalhadas por São Carlos (SP), Porto Alegre (RS), São Paulo e Santa Maria (RS), sendo que a maior parte do tempo eu passava em SP.

Curte que é a minha musica favorita e tem tudo a ver com o que vem em seguida…

DEIXAR DE LUTAR POR UM SONHO E VIVER POR ELE.

Naquele momento eu estava em Vila Velha (ES), o que chamo carinhosamente de paraíso perdido. As pessoas amam ir para o RJ e BA, que são abaixo e acima do ES, mas eu achei o ES o lugar mais especial. Estava ali surpreso, por não ter conhecido esse cantinho especial antes, surpreso pelo estilo de vida e meio que embriagado pela sensação de plenitude que estava sentindo.

Sempre sonhei em morar na praia, mas uma coisa é a rotina de férias ou viagem para a praia, outra é quando você tem que fazer um trabalho de 3 ou 4 dias. Mas, completamente diferente era esse período de 1 mês que passaria no projeto. Desta forma, você se aproxima muito de como seria a vida morando nela, e eu tive uma degustação que foi suficiente pra vida inteira.

O primeiro pensamento foi esse:

Vou batalhar muito, para juntar uma grana e vir o quanto antes para a praia, morar assim. Quem sabe até o ano que vem dê.

 IMG_2434

Fala sério, quantas vezes você já pensou isso? É muito possível que se pensar um pouquinho agora vai achar um lugar para sentir essa sensação de vou batalhar pra chegar lá… Só que me bateu aquela bad, não acredito que conheci esse estilo de vida e vou ter que viver em outro para poder vir. Na hora me deu um PLIM, aquele momento que papai do céu dá um grito tão alto lá de cima, que estala sua cabeça uma ideia que virou um lema para mim – Ei, que nada, vou vir agora. Ao invés de batalhar e juntar a grana para vir, eu vou batalhar para me manter aqui, a diferença é que a batalha vai ser aqui, onde eu sonho em ficar.

Chega de lutar por um sonho,

vou lutar para ficar nele.

 

A VIDA NO TRABALHO.

A segunda questão foi uma das grandes lições que tive, possivelmente uma das 3 melhores decisões da minha vida e me fez escrever esse artigo. Há pouco conversava com umas pessoas que me falavam o quanto queriam também viver na praia ou em outros lugares, mas o trabalho as levava para ambientes que elas não queriam tanto. Foi quando falei:

Eu simplesmente parei de encaixar minha vida ao trabalho para encaixar o trabalho na minha vida.

(leia umas 8 vezes essa frase)

IMG_2438

 

O pensamento a curto prazo é sempre esse, a oportunidade de trabalho, ganho se torna prioridade, e aí ajustamos nossas vidas para aproveitar isso. Com o tempo vamos nos acostumando com uma vida que não queríamos, com sorte ela é boazinha, mas geralmente não. E infelizmente, vamos criando as raízes, as rotinas, como fazer as coisas, os contatos, cada vez mais presos e fica mais difícil você sair de onde já está tudo encaixado, mesmo não sendo o lugar que você quer estar.

As pessoas dizem, “ah mas em breve eu terei condições de sair e vou viver a vida que mereço”, sinceramente, acho que não. A imensa maioria não faz isso, pois fica presa na vida que montou, vai comprando mais coisas para deixar a vida mais cômoda e sentir menos o peso de estar onde não gostaria, tenta achar atividades para passar o tempo, e aos poucos se prende cada vez mais naquela vida.

 

CRIANDO A VIDA QUE VOCÊ MERECE

Quando você resolve encaixar o trabalho na sua vida, uma coisa é certa, vai ser bem mais difícil no começo. Pois, agora você está em um risco maior, tem que ralar mais, para conseguir se manter onde sonha estar. Mas, existe um ponto principal, da mesma forma, só que com um pouco mais de tempo as coisas começam a entrar no prumo, as raízes, contatos, rotinas começam a se criar, só que agora você está, no lugar que ama.

É obvio que a dificuldade é bem maior, pois no curto prazo você se lasca feio, mas quando tudo se ajeita, você fica com aquela sensação de ter feito a melhor escolha da sua vida, e uma sensação de gratidão te domina. No outro caso, fica sempre aquele pensamento incômodo, como coceira nas costas em um ponto que você não consegue chegar e não sai dali, sobre será que estou certo? Um dia eu vou sair? Como eu queria aquela vida – E no fundo você sabe que até agora não teve coragem de arriscar viver a vida que merece.

vc apenas leva aquilo

DECISÃO FINAL

É toda sua, ainda bem né? Mas, você pode ir no caminho mais fácil e menos arriscado no início e acreditar que depois vai correr atrás do que realmente gostaria. Lembre-se que quase ninguém realmente faz e também, quanto tempo você perdeu deixando de viver esse sonho? Quanto vale esse tempo? Da outra forma, pode ser muito ralado, mas quando as coisas se ajustarem, elas irão se acomodar na vida que você queria e você poderá desfrutar da sensação de estar vivendo de uma maneira plena.

Eu sempre brinco, enquanto respira ainda é possível fazer algo, o que será?

Deixe seu comentário

Deixe seu comentário